Memórias Paroquiais

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Início
Pesquisar
Um total de 2 resultado(s) encontrado(s).
Etiqueta: Fátima Farrica
  • Memórias Paroquiais (2)

Viana do Alentejo, 1758
Memória Paroquial da freguesia de Viana do Alentejo, comarca de Évora
[ANTT, Memórias Paroquiais, Vol. 39, nº 150, pp. 891 a 910]

 

/p.891/


Na provincia do Alentejo, huma das mayores de Portugal, no Arcebispado de Evora, o
maiz rico de todo o reyno, na comarca da mesma cidade, a maior de toda a provincia
esta situada a antigua villa de vianna, em trinta e outo grãos, e treze minutos de latitude
e nove grãos, e dez minutos de longitude do primeyro meridiano: Da sua fundação ao
certo não consta, maz he certo que lhe deo foral o senhor rey D. Deniz no anno de mil
trezentos, e sincoenta, e hum fazendo a villa, e dando lhe o foral de Santarem, e no anno
de mil trezentos, e sincoenta, e douz fes della doasão a seo filho primogenito o Senhor
D. Afonso quarto, e a Senhora Infante D. Beatriz sua mulher.


2.º


Esta villa he da Casa Real, sem embargo de que em tempo do senhor rey D. Duarte, foi
do Conde D. Pedro de Menezes, e seu filho o senhor rey D. Afonso quinto a anexou as
capellaz no anno de mil e quatrocentos sacenta e hum.


3.º


Tem quatrocentos sacenta, e nove vizinhos, a saber na villa trezentos sacenta e nove:
nas ortas trinta e trez: e no termo sacenta e sete, e em todos há mil trazentos, e setenta
pessoas mayorez, cento e trinta, e seis menores, e vinte e douz clerigos do habito de São
Pedro.


4.º


Está situada em hum valle junto a hum pequeno monte a que chamão Serra de Sam
Vicente, e da villa se descobrem a cidade de Evora na distancia de sinco legoaz, a villa
de Evora Monte na diztancia de outo, a villa de Portel na diztancia de quatro legoaz, a
villa de Aguiar, e a povoação de São Bartholameu da Ouriola, em distançia de huma
legoa cada huma.


5.º


Tem esta villa termo seo, mas nelle não ha aldeyas, freguezias, ou lugares, e os vizinhos
ja vão declarados.


6.º


A parochia está dentro da villa, mas em huma ponta da mesma e he a unica freguezia
que tem, e a que foi antigamente foi a Igreja de Santo Aleixo, hoje de Sam João.


/p.892/


7.º


He o orago da parochia a senhora da Anunciassão: tem sinco altarez o mayor,e douz na
mesma frente e dous colateraes; o do Rozario em que estão as imagens de Nossa
Senhora das Mercez, e a de Sam Braz, o das Almas, em que estão as imagens de Nosso
Senhor crucificado, de Sam Miguel, e de Sam Jorge, o do Menino Jesu, com = sua
Imagem, e a de São Bartholameu e Sam João de Deuz, e o Altar dos Reys com a
devotisima Imagem do Senhor dos Passos, e a do Senhor morto: Ha na mesma igreja
seiz irmandades, que sam as seguintes = A do Santissimo Sacramento = a da Senhora da
Incarnasão = a do Menino Jesu = a do Rozario = a de Santo Antonio = e a da Almaz =
he Igreja de trez navez, e foi fundada no tempo de Senhor rey D. Manoel de boa
memoria.


8.º


O parocho he reytor, que tem de renda duzentos, e sincoenta mil reis cada anno, e he da
aprezentação do provedor das capellaz do senhor rey D. Affonso quarto.


9.º

 

Não tem beneficiados, mas somente hum cura a quem pagua o reytor.


10.º


Há nesta villa douz conventos, hum de religiozos da terceyra ordem de Sam Francisco,
e outro de religiozas de Sam Jeronimo singular, e unico em todo este reyno, e da
obediencia do Perlado Deociziano: foi fundado no anno de mil quatrocentos sacenta, e
outo, por Britez Diaz Rodovalha filha de hum cavaleyro chamado Diogo Vaz
Rodovalho, e de sua mulher Maria Estevez Cansada ambos de nobelissima geração, e
naturaez da mesma villa, e dotado por ellez no anno de mil quinhentos, e doze, e pella
mesma fundadora, no anno de quinhentos, e quarenta, e outo; e proffesarão as primeyras
religiozas, no anno de quinhentoz e sincoenta, e trez, sendo Arcebispo de Évora, o
Senhor Cardeal Rey e desde antão tem este convento florecido, em santidade, e virtude
como em seo lugar se fará patente. O convento de Sam Francisco foi fundado por duas
mulherez nobrez naturaiz desta villa no anno de mil quinhentos, e vinte e outo, huma
era Isabel Cardoza cazada com Manuel Fernandez Rodovalho, por cuja morte,
proffessou sua mulher a terceyra regra, e deo obediencia a Fr. Mathiaz do Pedrogão
Provincial no anno de mil quinhentos, quarenta, e quatro, e por morte de Isabel Cardoza
indo as beatas que estavão no dito recolhimento para o de Sam Jeronimo, tomarão posse
delle os fradez no anno de mil e


/ p.893/


e quinhentos setenta e outo. O nome da outra fundadora esta escripto no celeste
catalogo.

 

11º



Tem hospital, que he a Albergaria de Nossa Senhora, fundado por Fernão Martins, e sua
mulher D. Mayor, que a deicharão por suaz almas e antigamente adeministrado pellos
homens bons ouilheyros desta villa, como consta de seu compromisso, feito pelos
confradez no anno de mil trezentos e sincoenta, e sete: hoje o adeministra a Irmandade
da Mizericórdia, a quem se anexou a adeministração por provizão regia; tem de
rendimento annual outenta mil reiz poco maiz, ou menos, sendo a melhor parte desta
renda, o foro de trinta mil reiz que lhe paga em cada hum anno o Illustrissimo e
Excellentissimo Duque do Cadaval da quinta chamada de Santa Maria, a qual deixou a
dita Albergaria Afonso Annez do Cratto, no anno de mil quatrocentos, sacenta, e quatro.


12.º


Tem caza de Mizericordia a que deo compromisso o Senhor rey D. João terceyro, não
consta certamente quem a fundaçe, e tem de renda annual quatrocentos, setenta mil reis
poco maiz, ou menoz.


13.º


Tem esta villa sinco érmidas dentro da mesma que são = a de São João = a de Santo
Antonio = a do Spirito Santo = a da Senhora da Grassa = e a da Senhora da
Assumpssam; e tem fora da villa seiz ermidas, a saber = São Sebastião = Sam Pedro =
Sam Vicente = Nosso Senhor do Cruzeyro = Santo Andre = e Nossa Senhora de Ayrez
= esta ultima he em tudo a primeyra ermida que há em toda a província e talvez em todo
o Reyno, falando das que estão no campo; porque alem de ser milagrozissima a Imagem
da Senhora, he ademiravel o sitio em que está a Igreja, e a magestoza fabrica com que
está novamente edeficada a sua magnifica capella, de obra compozita, de marmorez, e
outraz pedras finissimas, de que tambem são outo soberbaz colunnaz de cor verde, sobre
cujos capiteiz primorozamente lavrados, descansa a rotunda maquina do seu alto, e bem
vistozo zimbório: para o qual se sobe por huma bellissima, e bem repartida escada de
douz lansos, que parão nas abobedas, ou coxiaz, que vão parar a dous coretoz,
fabricados com igual arquitetura, magestade, e riqueza asim nos frizos, e lavores dos
seus porticos, como na bella regularidade de todaz as janelas exteriorez, de hum dellez,
que he o do lado esquerdo, se sobe a


/p.894/



a huma baranda, que circunda o zimborio, toda lageada de pedra preta, e da qual tem a
vista fruissão deleitoza por huma campina dilatada; A porta principal da Igreja, he de
admiravel obra moderna, em que certamente o bom gosto da obra excede ao preciozo da
materia: Soube o docto artifice, que lavrou o portico moderno meter lhe no fronstypicio,
huma antiga pedra, em que está a inscripsão seguinte, digno porto do fecundo, e
facundo ingenho do Padre Mestre Franco

Hine mauro expulso, prosizus romere campus
Virginiz efigiem, quam tenit ara dedit.
Guo trahit ecolo, cognomen terra salubri
Ut daret efigiem virginiz, apta fuit,
Oh. Folix tellus, facundior omnibuz, inuz
Pluz tibi dat sulcus, quam segez illa dedit


Aludindo á ditoza invensão da soberana imagem da Senhora, e ao favor, que o ceo fes a
Martim Vaqueyro, de antiga, e nobre família desta villa, e que foi o fundador desta caza,
e primeyra igreja; como consta da inscripsão que esta na sua sepultura, na capella mayor
da mesma; o qual andando lavrando/ exerçiçio sempre util e antão honrrozo, e que
facilitava a singeleza daquelles tempoz, como de El Rey Vamba contão as historiaz/
abrindo o arado aquelle ditozo campo, descobrio o requissimo thezouro, que ali tinha
escondido a piedade, e devoção dos monjez de Arem/ segundo se infere/ cujo mosteiro
estava no termo de Alvito, no sitio em que hoje está o convento de Religiozos
Franciscanos, ao qual chamavão de Monje de Arem, com poca corrupsão de Monje de
Arem, se chama ainda a senhora de Arez. Corrupto o mesmo vocabulo: Talvez
esconderão estes Monjez a peregrina Imagem, no anno de novecentos, e outenta e douz,
em que El Rey de Cordova Almansor destruhio o dito convento de Monje de Arem,
como afirma Jorge Cardozo no Agiologio Luzitano a dezanove de Fevereyro letra A, e
sem embargo de que o mesmo autor diz, que o tal convento estava no termo de vianna
de Alentejo, senão deve entender do termo que hoje tem, senão do que teve no anno de
mil trezentos, e sincoenta, e hum, em que o senhor rey D. Deniz asignou por termo a
esta villa entre outros lugares a villa de Alvito, que hoje he villa separada, e em cujo
termo está o dito convento; e ainda que em couzas tão antiguaz não possa haver
infalivel certeza, contudo uzando das conjeturaz que


/p.895/


que constetuem probabilidade, pellas que resultão do sitio, e nome daquelle convento, e
do titulo da Senhora se deve, e pode afirmar que alguns daquelez Monjez, que erão
Benedictinos, fugindo á furia, daquelle barbaro, esconderão a Soberana Imagem na
terra, pera a livrarem da voracidade do fogo da sua tirania; corroboraçe e coadjuvaçe
maiz esta conjectura, com a invensão da sepultura do capitão, ou Regulo Muça, que se
achou no dia seiz de Julho de mil setecentos quarenta e trez, abrindoçe os aliçerçes da
nova capella que á mesma Senhora de Ayres tem fabricado os seuz devotos, a qual
estava quazi debaicho do altar antigo a huma brassa de fundo em hum caxilho de
adobez dentro do qual estava huma organizasão de hum agigantado cadaver, cujos ossos
estavão inteyros, e pegados, os quais com presipitasã[o] imprudente, e menos curiosa
resulusão quebrarão osserventez dos pedreyros, porem ainda nos seuz fragmentos se fes
a observação seguinte = tinha a caveyra desde o lugar a que os anathomicos chamão,
dura, e pia mater, athe o osso jugular, palmo, e meyo, e trez dedos; o casco tinha
grosura maiz de hum dedo, huma cana do brasso, tinha de comprido desde o cotovello
the ao hombro, douz palmos, e meyo, os queichos debacho tinhão desde o emcacho athe
o lugar da barba, hum palmo, e douz dedos, e em huns, e outros havia trinta, e douz
dentez de nunca vista grandeza; A sepultura hera de dezaseiz palmos de comprimento, e
seiz, e meyo de largo, e esta purporsão se pode conheçer o que tinha o cadaver de
comprido; cobria ao mesmo corpo the ao meyo huma campa, de pedra de seiz palmos
em que se liam sobresaltadas as seguintes letraz =

I. D. Cas. Selsa.
Florentiz. D. D.


E o outro meyo corpo cobrião adobez bem conglutinadoz. A cabeceyra tinha huma
pedra marmore de feitio de huma pipa em que estão esculpidaz as seguintez letraz =

D. M. S.
Muça vixit am. Lx
Livia Liberatos…
H. I. S. M.
S. T. T. Leviz


Acharan çe, maiz variaz cam


/p.896/


campaz de figuraz diversaz, e duaz pedraz com o mezmo feitio de pipaz em huma das
quaiz estão escriptaz as seguintez letraz =


D. M. S.
Dignitaz…..
Vixit ann. xxv.
Coyseros maritus posuit
H. I. E. S. F. F. L.


Todas estaz pedraz se concervão ainda junto da igreja da Senhora: Este pareçe foi o
Regulo Muça, que entrando em Portugal no infausto anno de setecentos, e dezasete
capitaneando aoz mouros que invadirão as Espanhaz martirizou a Santo Adelfio Bispo
de Tuez, e a todos os sacerdotes que o acompanharão, como afirma o mesmo Cardozo
no Agiologio dia treze de Janeyro; e parece primitio a providensia que neste tempo se
purificaçe aquelle sitio, tirando çe delle aquelle bárbaro sepulcro, em que estava o
cadaver daquelle tirano, e que o mesmo dezocupaçe depoiz de tantos annos morto,
aquelle lugar, que tanto infestára emquanto vivo, e a quem nos reconditos arcanos da
sua sciencia destinou Deus pera servir de trono na terra á soberana imagem da rainha do
ceo. Na porta que ezta detraz da nova cappella se acha a seguinte inzcripsão


Magn. D. M. de Ayres
Se dente Benedict. P. XIV Regnante Joanne
Quinto sanctiorem hanc templi partem
proloci religione non satiz am plum, anum:
ente Fr. Michaele de Távora Archip. XU.
pecunia partim éreditibuz istiuz met templi
coleta, partim fidelium pietate e rogata
sodalez Mariani posuerunt anno Domini
M. D. C C. X L V.


Neste sitio, e em toda a circumferencia de tam vistozo campo, se achão alicercez
notavens, e grandez monumentos de antigos, e soberbos edeficios, entre os quaiz tem o
primeyro hum notavel aqueducto, que se supõem obra dos romanoz, e de que se
aproveitaram oz


/p.897/


os devotos da Senhora para a fabrica, e manancial da perene fonte, que junto da ermida
rega com insessante abundansia de agoa que corre por trez grandes bicas de bronze a
alameda que serve de recreyo á vista, e de fresca sombra a todos os que de Verão
frequentão as quazi continuas romagens, que se fazem á mesma Senhora: e sam as
principaez que vão annualmente a festeja la as seguintes confrarias = Ha da villa de
Alcacer do Sal, pello Spirito Santo = A dos pastorez em dia de Sam Bartholameu = A
da villa do Torrão em dia incerto = A desta villa de Vianna no dia outo de Setembro = A
da aldeya da Cuba no dia nove do dito mez = A dos tendeyros na Sexta feira da terceira
semana de Setembro = A da cidade de Beja no Sábado immediato = A da cidade de
Évora no quarto Domingo de Setembro, e he romagem de tanto concurso que tem
havido annos que se tem orsado, em dez, the doze mil pessoaz. E he funsão munto
vistoza, e que ordinariamente se compoem de magnifica festa de igreja, com persioza
armasão, e escolhida muzica, e no arrayal custuma haver jogos de touroz, e muntaz
vezes de cavalloz cavalhadas, e sobrebos arteficios de fogo, e outros muntos brincos em
que costuma acompanhar ce a devosam do devertimento; emfim he festividade grande,
e a que vem acrecentar a confraria de Montemor o Novo, na Segunda feira immediata =
As de Villa de Fradez, e da Vidigueira, vão em Outubro mas em dia incerto = A da villa
de Alvito vay no Domingo da Trindade; E finalmente he esta igreja tam vizitada de
romeyros que apenas se passa dia |se algum se passa| em que não vam muntas pessoaz a
encomendar çe a Senhora, e a render lhe as grassaz dos continuados milagrez, e
prodígios, que sempre está fazendo as os [sic] catholicos, dos quaiz muntos perdurão
nas felices paredes daquelle templo augusto, os trofeos da sua devosão, e as bandeyras
do seo agradecimento.


15.º


Os fructos de que esta villa maiz abunda, sam os mais persizoz a natureza humana;
porque he fertil de trigo, senteyo, e sevada; tem algumas fructaz, bastante vinho, munto
azeyte, muntaz e muy singolarez ortalissaz.


16.º


Tem esta villa Juiz de Fora, lugar que se criou, no ano de mil seiscentos, e outenta, e
trez, e foi o primeiro Juiz de Fora Manoel Perejra Perez. Atte este anno governarão a
esta villa juizes ordinários - Tem camara que se compõem [sic] de trez vereadorez, hum
ezcrivão e hum procurador.


/p.898/


17.º


Não he honra, couto, cabessa de concelho, ou beletria, mas no tempo do senhor rey D.
Deniz foi cabessa de concelho de villa Nova, Malcabram, e Alvito.


18.º


Muntas, e boas são as memoriaz que há, das muntaz pessoaz insignez em virtude e
letraz, que florecerão nesta villa; Em que ouve, e há huma geração nobre a que chamão
= geração dos santoz o autor dos livros intitulados = Imagem da virtude; e principiando
por ella que he a dos Cardins: floresçerão em letras e virtudez as pessoaz seguintez. O
Doutor Jorge Cardim Froez Desembargador da Casa da Suplicação, grande
jurisconsulto, e de tão ajuztada vida, que largou a ocupação por não morrer = como elle
dizia= com feytos a cabeceyra. Teve trez irmãos todos religiozos da Companhia de Jesu,
o padre Fernão Cardim, que depoiz de ademirar as Brazil, e a Roma com = os seuz
sermoens virtude, e scencia, e depoiz de ilustrar os carcerez de Inglaterra com - a sua
tolerancia morreo vice provincial em santa velhice croado de merecimentos e virtudez =
o padre Lourenço Cardim que fazendo viagem para o Brazil com o mesmo spirito de
seo irmão, vendo cometido o navio pellos hereges hugonotes, arvorou hum sagrado
cruxifixo e com elle nas mãos animava aos catholicos consolando aos feridoz e
confessando os moribundos, athe que passado de huma bala inimiga abrasado com - o
mesmo senhor lhe entregou a alma = o padre Diogo Froez lente de Theologia na
Universidade de Evora o qual na peste de Lisboa servindo aos enfermos acabou
sanctamente na caza da saude verdadeyro martir do zello, e charidade. = o prodigiozo
padre João Cardim filho do dito Dezembargador e de sua mulher D. Catherina de
Andrade, cuja vida antes, e depois de ser religiozo foi tão ajustada com a ley divina, que
mereçeo que Deuz com - muntoz milagrez fizeçe, conhecer ao mundo as suaz virtudez,
de que depuzerão mais de cento, e outenta testemunhas fidedignaz, que tirarão os
senhores ordinarios deste reyno, como adverte o Doutor Sebastião de Abreu na vida que
compoz deste servo de Deuz impressa em Evora no anno de mil e seiscentos, e
sincoenta e outo a vida do mesmo, se bem mais deminuta nas noticiaz, se estampou em
Roma no anno de


/p.899/


de mil seizcentos, e quarenta e sinco, e depoiz se traduzio em varias lingoaz, e foi o seu
autor o padre Fhelipe Alegambe de nassão Tudesco, e que compos a Biblioteca da
Companhia e foi o primeiro traductor em Italiano o padre Antonio Heredia; enfim para
o negocio de beatificação deste bom filho de Vianna se tem ja reprezentado em Roma
os seuz mereçimentos á summa cabessa, suplicandoce queira servirçe de mandar passar
remissoriaes na forma custumada, o que se espera porque se interessarão na suplica
muntos senhorez perllados deste reyno, os reverendos cabidos de Braga, Evora e Porto,
as duaz maiores cidades do reyno, as camaras de Lisboa, Braga e Coimbra, os mais dos
títulos de Portugal e El Rey das Maldivaz quando esteve neste reyno, tão bem se
interessarão neste negocio o Gram Duque de Toscana = o Principe de Malta, o Duque
de Baviera, eleitor do Império, e outros muntoz principes de que fas mensão o autor da
sua vida no livro segundo capitulo vinte e outo. Teve este varão ilustre douz irmãos na
Companhia hum o padre Diogo Cardim, e outro Antonio Cardim que depois de se
dedicar ás Missóenz do Oriente, se chamou Antonio Francizco, por devossão do Santo
Xavier, hum, e outro viveo e morreo, com singular exemplo de virtude e zello da
salvação das almaz: - Destez foi tio irmão de seo pay, o Doutor Manoel Cardim lente de
prima de Medessina na Universidade de Coimbra, e collegial, e Reytor do Real Collegio
de Sam Paullo, e depoiz Medico da Camara, e Phizico mor deste reyno; Irmão deste foi
o insigne theologo Antonio Cardim Froez o primeiro que se doctorou em Theologia na
Universidade de Évora, e depoiz foi prior da rendoza Igreja de Villaz Boaz do termo de
Beja. Florecerão e sahirão desta villa os cellebrez jurizconsultos, o Doctor Lopo Dias de
Goez Dezembargador, e Chanceler do Porto, fidalgo da Caza de Sua Mageztade. O
Doctor Jeronimo Cabral Chanceler da mesma rellação. O Doctor Simão Gonsalves
Preto Chanceler mor do reyno; o Doctor Custodio de Figueredo Juiz dos Feitos da Croa,
todos parentez dos sobreditoz Cardinz. O Doctor Luiz Touro da Foncequa corregedor
do crime, em cujaz cazaz, se acomodou nesta villa o Senhor Rey D. Sebastiam. O
Doctor Balthezar Fialho collegial no Collegio de Sam Paulo, e lente de canones em
Coimbra tio do padre João Cardim. O Doctor Antonio Fernandez Ferreyra gran

/p.900/


grande menistro e que compos algunz livros de direyto, o Doctor Domingos Coelho
Reydono Desembargador da Relasão, o Doctor João Antonio de Sam Payo Cogominho,
que faleceo chanceler do Porto; seo irmão o Dezembargador Antonio de Sampayo
Cogominho e Vasconcellos que hoje vive = Em armas floresceo Fr. Diogo Lopez
Pantoja cavalleyro de Malta, filho do sobredito Dezembargador Lopo Diaz de Goez. Em
tempo do senhor rey D. João o segundo sahio desta villa Lopo Dias avou do sobredito
Dezembargador do mesmo nome, com o foro de vassalo por embaxador de Marrocos.
Também se illustra esta villa com os nassimentos dos filhos seguintez que florecerão em
santidade. O padre João da Foncequa da Companhia cuja vida foi chea de virtudes
relligiozaz, e depoiz de sua morte forão as suaz pobres alfayas veneradas como
relliquiaz e chegou o senhor D. Pedro a pedir o seo rozario de que fez tanta estimação
como em vida fazia do dito relligiozo. O Padre Thome Vaz vice provincial do Japão,
que com invensivel trabalho, mostrou nas suaz grandez missoens hum zello
verdadeiramente apostolico. O Padre Antonio Fernandez missionario na Etiopia donde
padeçeo indeziveins perceguisõez athe croar suaz virtudez com sua ditoza morte. O
irmão Afonso Fernandez da Companhia, filho de Custodio Gonsalvez, e Bertoleza
Canssada que, morreo martir lanssado ao mar pellos heregez, fazendo viagem para a
missão do Brazil, em companhia do Padre Ignacio de Azevedo, e de cuja Beatificação
se trata em Roma; desta mesma villa forão filhos trez Padres da Companhia, douz dos
quaiz forão martirez, e herão sobrinhos de huma das fundadoras do convento de Sam
Francisco da mesma; e outro cujo corpo esta integro em Maláca, como consta do livro
das memoriaz do convento de Sam Jeronimo sobre dito, maz com a circunstancia
sencivel de ocultar os seus nomez; Tambem nesta villa viveo, morreo, e jaz sepultado o
Excelentíssimo, e Reverendissimo Antonio Paez Godinho que acabou adornado de
muitas virtudez, e com boa opinião de santidade, ficando o seo corpo flexivel depoiz de
sua morte, sempre será o seu nome hum decorozo brado de sua fama, certa huma viva
saudade de todos os moradores desta villa.


Não só se illustra vianna com ascença, e virtude de tantos, e tão grandes homens,
porque igual, ou mayor gloria lhe derão e dão muytas insignes mulherez; Mereçe o
primeyro lugar entre todaz a Illustre Britez Diaz Rodovalha, fundadora do convento de
Sam Jeronimo, como ja se diçe, cuja vida perfeita, e morte bem


/p.901/


circuntansiada, são digno asumpto para hum dilatado livro. Nasceo nobre para viver
humilde, foi rica para se fazer voluntariamente pobre, hera senhora e parecia serva, foi
Perlada e sempre se tratou como subdita; os primorez, e soberaniaz que aprendeo no
Passo, transformou em humildadez, e penitenciaz, que exercitou no Mosteyro, tudo
quanto pera ella forão mimos da Serenissima senhora Dona Izabel Infanta portugueza,
forão em si e pera si desprezos de si propria, enfim depoiz de fundar, e dotar o dito seo
convento, em munta sanctidade, depoiz de confundir os seuz émullos com innegavel
virtude, carregada de annos, e merecimentos entregou sua ditoza alma naz mãos de seo
amado e Divino espozo, em hum Domingo vinte, e outo dee Julho, de mil, e quinhentos,
e sincoenta, e sinco, sendo lustrozo sol de vianna, e o melhor esplendor das antigaz, e
nobrez familiaz, de Fragozos, Rodovalhos, e Cansados da mesma villa. Seguio lhe os
passoz e imitou lhe os votos sua sobrinha Leonor Vaz Rodovalha, que foi a segunda
Prioressa do dito convento, e se chamou Leonor das Chagaz, az quaiz bem
dezempenhou nos martirios das suaz penitenciaz: forão boas companheyras destas
celebrez Matronaz, as madres Britez do Prezepio = Catherina de Christo = Sebastiana
da Madre de Deuz = Beatriz de Santa Paulla = Maria do Spirito Sancto = Izabel de São
Jeronimo = e Ignez da Crux, que todaz forão observantissimas religiozaz, do mundo de
Jeronimo sete maravilhas, e sete rasionaez planetaz deste ceo de vianna: munto há que
dizer daz virtuozaz heroinaz deste mosteiro mas como he persiza neste papel a
brevidade, he forsozo uzar do laconimo, tocando apenaz os nomes, e patriaz das
religiozas mais insignez en virtudez, e de que trata o Agiologio Luzitano, e o livro das
memoriaz do dito convento; Foi sua terceira Perllada Ignez do Perzepio natural de
Monte mor o novo, filha de Manuel Quarezma de nobre geração, foi muito humilde
charitativa, e prudente, teve dom de lágrimaz e foi excessiva nas penitencias: della se
consta que vira na sagrada particula hum bocado de carne, e sobre a sua cama na hora
da sua morte foi vista huma lus muj resplandecente; Muy semelhante a esta foi Maria da
Anunssiada extremozamente vigilante, e penitente, e a quem foi revellada a sua morte,
que sucedendo no anno de mil quinhentos, e outenta, foi pera o seo convento de munta
gloria e honra immortal de Aldea Galega sua patria: outra columna se elevou para
fundamento deste templo da sanctidade ou para ne-


/p.902/


nella se gravar non plus ultra da virtude e na pessoa de soror Mecia da Columna filha de
Gaspar Lopez Godinho, da família dos Cardinz e de Elvira Cabral Rodovalha parenta da
fundadora, a qual foi extatica humilde, pobre caritativa, e extremozamente callada cuja
feliz morte illustrou o dia nono de Janeyro do anno de mil quinhentos, e outenta, e
sinco; munto a imitou Catherina da Anunciada, natural desta villa filha de Antonio Luiz
Alfange, e de Inez Dias Capas que se asinalou na virtude da obediência e em todas as
maiz que constetuem huma perfeita religioza na hora da morte alcansou ver o ceo na
terra porque vio junto da sua cama a Nossa Senhora com seo Santissimo filho nos
brassos, e ao seo Patriarcha Sam Jerónimo; e estando para morrer pedio obediência, e a
benssão á Prellada, e tanto que a conceguio logo expirou, morreo em dia de Sam Joze
na era de mil quinhentos, e noventa, e ao tempo de seo tranzito venturozo foi vista em
bastante distancia com vestiduras de Anjo. Não foi menos illustre a Madre Ignez
Baptista |camareyra da Illustrissima Baroneza de Alvito Dona Guiomar de Castro|
porque sendo excessivamente penitente, e sendo rodeyra em todo o tempo, que foi
religioza, chegou a perfeissão tam elevada, que muitas vezez se lhe via na testa huma
estrella, quando comungava ao verdadeyro sol da Grassa, e da Justissa. Tambem foi
celebre em virtudez Soror Ignes da Crux filha de Diogo Vaz Rodovalho da familia da
fundadora do convento, e de Ignez do Couto Figueira, porque della se afirmou que
parecia que não incorrera, na universal culpa de Adam, e Deus lhe mandou revellar o
dia de seo feliz transito, por Santo Antonio, e faleçeo no anno de mil seiscentos. e trez;
filha foi de Vianna e de Henrique da Marlota de nobre geração a Madre Anaztaçia da
Encarnassão, que deichando as venturas que lhe prometia o hymineo humano,
conceguio as finezaz do seo Espozo Divino, foi na oração continua, e insessante, mundo
compassiva humilde e abstinente. Invejozo o Demonio de ver tão perfeita aquella alma,
lhe quis tirar a vida, apertando lhe a garganta, mas de todo o perigo a livrou Nossa
Senhora, de quem foi devotíssima, na hora do seo transito foi vista no ceo huma escada
clarissima sobre a infermaria do convento. Imagem talves daquella senhora, que he para
a subida, do ceo, escada, para a


/p.903/


aquela estrella, e para a entrada, porta; Foi igualmente insigne em religião e virtude
Soror Mecia de Sam João, natural desta villa e sobrinha da fundadora. Soube buscar
todo o modo de abaterce soube seguir todo o estillo de morteficarce. Foi na oração, e
silencio tam asinallada, que pareceo hum asombro de penitencia, e imitando ao seo
Patriarcha São Jeronimo transferio para a sua boca a pedra com que elle feria o peito,
poiz quazi sempre trazia huma pedra na boca para maior martírio, e para nella guardar o
silencio. Tambem lhe foi anunciada a sua morte por Santo António; morreo inclinando a
cabeça na chaga do lado de hum cruxifixo, depozitando naquelle sagrado thezouro, o
seo persiozo spirito, e imitando naquella hora o seo espozo Jesu Christo que tambem
para morrer inclinou a cabeça. Tambem forão e são celebradas por virtuozaz as madres
= Maria dos Anjos = Luzia da Asumpssão = e Mayor de Nascensa, todas trez Irmans,
naturaes de Ervidel, filhas de Thome Bayam e de Grimasuza Duarte, de geração nobre.
Irmans no sangue, e irmans todas trez, nas trez maiores virtudes: alternarão sempre hum
suavíssimo, lacrimozo tohno, em religiozo obzequio de Deuz uno, e trino, finalmente
contra as trez diabolicas furiaz forão trez Angelicas grassaz = A Madre Ambrozia do
Monte Calvario filha de Evora ilustrou a esta villa com as suas virtudes religiozas. Foi
peregrina nos exercicios da humildade, e tão penitente que estando sempre com o
coração no Monte Calvário, de que adornou o nome, pareçe que daquelle Monte bebia a
Ambrozia, porque só das angustias do calvario libava o nectar. Foi excellente cantora,
com estillo tão suave que athe a idade de setenta annos cantou perfeito tiple. Nesta
circunstansia notavel a imita huma sua natural a Madre Michaela Archangela |que
atualmente vive| tera quazi a mesma idade Anjo na voz, Archanjo na virtude. Em
muntas forão celebrez a Madre Isabel de Santo Antonio natural desta villa, filha de João
Diaz Tosquiado, e de Maria Cardim, e sua prima a Madre Soror Izabel de São
Francisco, irman do grande Padre João Cardim = A Madre Phelipa da Vizitassão,
natural de Monte mor filha de Diogo de Negreiros, comendador da Ordem de Christo =
A Madre Anna do Spirito Santo, da mesma villa filha de Lucas Ramos, e de Mecia de
Faria, pessoaz nobrez = que todas estas com as


/p.904/


com as suaz virtudez insignez, fizerão ao dito convento e a dita villa mais ilustrez. No
mesmo floreceo a Madre Joanna do Rozario natural de Villa Nova da Baronia, filha de
João Monteiro Ravasco e de Francisca de Moura, de nobre, e antiga geração, desde
menina foi sempre tida por santa, quizerão seos paiz caza la, porem ella adornando a
repulssa, com as finas perolaz de suas incessantez lagrimaz, conceguio ser religioza no
convento desta villa, donde entrou de idade de trinta, e trez annos propria para morrer
para o mundo, e nascer para Christo, que morreo da mesma idade para salvar o mundo.
Foi na orasão continua e devotissima da Virgem Nossa Senhora; exercitou o cargo de
infermeyra, com tão ardente charidade, que esta foi a cauza da sua morte; morreo martir
da obediencia como ella publicou naquela ditoza hora em que croada de méritos,
entregou a Deuz a alma em vinte de Outubro de mil, seiscentos, e dez. A munto
veneravel Madre Margarida da Esperansa |este titullo lhe da o livro das ditaz memoriaz|
natural da cidade de Bargansa, filha de Manoel Mendez da Sylva, e de Antonia de
Castro, foi illustre esplendor deste convento. O pay foi munto amado do senhor Rey D.
Sebastiam; mas a filha foi mais querida do Senhor dos senhorez, e Rey dos reys, foi
singolar em todas as virtudez, mas na da abstinencia hera singularissima, porque sempre
jejuou a pam, e agoa, vio em spirito huma grande ferida, que em Lisboa se deu a um
fidalgo; em certo tempo chorou dous mezes contínuos, e dizendo lhe huma sua sobrinha
que lhe havia declarar a cauza daquele choro, na hora do seu transito, chegando este, e
sendo perguntada pello motivo, diçe que huma madrugada vira na capella de Nossa
Senhora do Rozario, ao ceo aberto, com tanta gloria, e musicaz, que pareçia que não
podia ser maiz |formais palavraz da dita religioza| e logo acabou com opinião de santa.
Serve de croa ao livro das ditaz memoriaz, e a memoria das religiozas mais antigas, o
venerando nome da Madre Phelipa da Crux, filha de Dom Phelipe, irmão do senhor
Dom Theotonio Duque de Bargança, e sobrinha de Dom Theotonio Arcebispo de Evora.
Foi regio o seo sangue, mas mais real a fez a sua virtude, fes a soberania mais illustre
com os meritos de humildade, sendo tão senhora praticou as funçoens de menor
servente, adornou a sacristia de persiozas alfayas jejuava ordinariamente a pão e


/p.905/


e agoa, principalmente nos adventos, e quaresmas, hera sempre a maiz prompta em
varrer as officinaz, foi tão humilde que confessava que quando a vizitava seo sobrinho o
Marquez de Ferreyra, lhe servia de grande mortificação a vizita, porque do mundo não
queria estimassão alguma, antes dezejava ser totalmente de todos desconhecida; emfim
tendo de habito sincoenta, e tres annos, adornada e ornada de virtudez e meressimentos,
e ansioza do summo bem, passou esta serva de Deuz para a corte celestial no anno de
mil e seizcentos trinta e trez: Prodigiosa foi tambem a vida da Madre Gracia do Spirito
Santo |Asim a intitulla hum manuscripto moderno, que no mesmo convento fez a boa
religioza Anttonia de Christo| foi natural desta villa, e desde minina começou a ser serva
de Deuz, e com tanto spirito que fez voto de castidade de idade de doze annos, que
inviolavelmente guardou em todos os que viveo: Desprezou as bodas da terra pellos
depozorios do ceo. Logo na infancia recebeo particularez favorez da benignidade
Divina; porque na noute de Natal vio em hum painel do Nazcimento, que estava no coro
ao menino Jesu, como vivo em carne, brincando com os cabellos de sua Sanctissima
May e com a santa simplicidade de menina, o advertio ás religiozaz que prezentez
estavão cuidando que todaz o viam. Teve no estudo do latim, notavel e quazi invencivel
rudeza, mas pedindo ao Spirito Santo luz, para o saber louvar no coro, de repente se lhe
infundio sciencia tão grande, que logo soube ler, construir, e entender o latim
perfeitamente. De ordinario não dormia em cama e o poco que dormia hera sem
encostar a cabessa. Teve dom de profecia, e predice muntaz couzas futuraz, que a
experiencia deichou vereficadaz. Antevio as [sic] guerra da Aclamação, preconizou o
mao sucesso do sitio de Badajós; Prediçe a perda, e restaurasão de Évora, e a fugida de
Dom João de Austria, em fim em santa velhice, teve felessima morte, e se cré piamente
que está sua alma no ceo, logrando triunfante o premio, de suas prodigiozaz virtudez;
Não foi dezigual a esta a veneranda religioza Soror Thereza Caetana, que neste tempo,
foi, e hé honra de tão santa caza, e singolar credito desta villa, nasceo em Lisboa, filha
de Francisco Anselmo, natural de Alemanha, e de sua mulher Britez Maria: Entrou
neste convento para ser religioza, pella prenda de muzica, e desde que entrou fizerão
nella az


/p.906/


as virtudez santa armonia, que nunca se lhe observou na obediencia nem nos mais votos
se lhe ouvio disonançia, Foi excelente arpista; e asim como David com a sua arpa
afujentava os demonioz, ella com o concertado da sua voz, deztruhia os maos
pensamentoz, sabendo que intentavão faze lla Perllada pedio com devotissima instansia,
ao Santissimo Sacramento lhe dese causa para a repulsa, e foi o senhor servido dar lhe
logo humas quartans que lhe durarão hum anno: E pera lhe dar occazião em que mais
mereçese emquanto viveo a privou da corporal saúde: Todas as moleztias sofreo com a
maiz resignada comformidade, athe que a violensia de hum pleuriz, as acabou em ditoza
morte. Depoiz da qual a creditou Deuz a sua virtude com alguns milagrez, e entre os
mais de que fazem mensão as memorias modernaz do dito convento, foi munto notavel
o de sarar hum olho que huma pupilla tinha munto enfermo, só com o conctato [sic] de
hum bocado de veo desta serva fiel de Deuz, e amada espoza de Jesu: Tudo o que destaz
Religiozas e Religiozos tenho escripto he com a resalva, e protesto com que guardo
inteyra e inviolavelmente o decreto do Papa Urbano Outavo, e asim não he meu intento,
acrescentar lhe opinião, nem introduzir lhe culto, antez tudo que digo destaz pessoaz, o
deicho no mezmo estado em que está actualmente, venerando com acatamento profundo
o dito Decreto Apostolico publicado no anno de mil seizcentos, e vinte, e sinco, e
declarado no de mill seizcentoz e trinta e trez, em sinco de Julho.

Tem este convento hum perciozissimo thezouro de reliquiaz, joyaz de
inextimavel preço, e vallor excessivo, vivaz immortais pedras do templo do Spirito
Santo; Perpetuaz memoriaz de resurreissão futura, em contraztavens ancoraz da
Esperança da eterna vida: e porque seria narração extensa, o nomear todaz, bastara fazer
menção das maiz notavens, que são = Hum osso do Santo Patriarcha Sam Jeronimo com
authentica = Hum cabello da barba do grande Baptista = hum pedaçinho do coração de
Sam Francisco Xavier = a cabessa de Santa Inez virgem, e martir = a cabessa de Santa
Rosonia martir = a cabessa de santo Inominato ainda com seis den


/p.907/


dentez = sinco brassos, com suaz mãos de prata, e nellez as canas dos brassos, de
Santo Alexandre martir – de huma das onze mil virgens - á que se não sabe o nome – o
de Sam Marcos martir = de Santa Serpencia = e o de São Diogo Guiçai martir da
Companhia. Tem mais huma cabessa em relicario de cristal que se venera como
reliquia, pello admiravel cheiro que exhala, mas não se sabe de quem he. Tem mais em
muntos sanctuarios riquissimos muntos ossos, e outraz reliquiaz, a saber dos santos =
Alberto = Guadiozo martir = Deziderio = Verno martir = Siro martir = Aniceto P. =
Reglo martir = Clemente P. martir = Marcal beata = Ruguel martir = Aristey martir =
Exeperio martir = Sennimo martir = Felipe Neri = Vicente Ferrer e das santaz Liberata
martir = Benedicta = Ignoscencia martir = Comtancia, Luzia virgem e martir =
Fortunata virgem e martir = Seria virgem martir = Eraclita virgem martir = beata
Magdalena martir = Getrudez = Theodora penitente = Izabel rainha de Ungria =
Catherina virgem martir, e outraz de muntos santos e santaz a que se não sabem os
nomes com certeza. Tambem neste convento se tem em grande veneração os votos do
Padre João Cardim escriptos com o seo sangue emgastados em prata, e tem Deus feito
por ellez muntaz maravilhaz. E como se trata de reliquiaz, não deve ficar em silensio
huma das mais notavens que ha em vianna, que he huma cabessa de hum dos Reys
Magos, que está na Igreja dos Religiozos Terceiros da mesma emgastada em prata, com
inscripsão no craneo da própria letra da rainha D. Catherina que o declara; cuja reliquia
deichou o senhor rey Dom Sebastião, quando passou a Africa, em poder de D. Ignez
Pimentel sua ama de leyte a qual a deichou por sua morte, a sua filha D. Phelipa, que
escolhendo para sua sepultura, a capella de Sam Bento da dita caza, a enriqueceo com
hum persiozo thesouro de reliquiaz, e entre estaz está, esta santa cabessa, que
anualmente se mostra, e expoem á venerasão publica no dia da Epiphania, e se julga
com provavel fundamento, que a mandou o Imperador Maximiliano, a rainha Dona
Leonor mulher do senhor rey Dom João o segundo, como segue Cardozo, no
comentário ao dia seiz de Janeyro no seo Agiologio.


/p.908/

 

19


Tem feyra, no quarto Domingo de Setembro, no sitio da Igreja de Nossa Senhora de
Ayrez, e he franca por trez diaz.


20


Por esta villa passa o correyo, que vem de Lixboa por Montemor para Beja, e Algarve.
Larga as cartas que traz de Lisboa, na menhãa da quinta feira e as que vem do Algarve,
e Campo de Ourique no Sabado de menhãa.


21


Dista sinco legoas de Evora capital do Arcebispado, e dezasete de Lisboa capital do
Reyno.


22


Tem previlegios grandez, que lhe concedeo o senhor rey D. Affonso quarto, e lhe
ampliarão, e comfrimarão todoz os senhores reys, seus sucessorez = E sam os
principaez não serem compelidos, a darem alojamentos, nem carruagens, nem serem
obrigados, a servir nas fronteyras, e outros muntos que omitto por serem tão notorios
como famigerados.


23


Ha nesta villa muntas fontez de agoaz excellentez, maz a que esta no termo da mesma
em a herdade do Monte dos Touros, tem especial virtudez porque para diarreaz, he
prezentaneo remedio, e de modo que para em defectivel cura desta queicha, a vão
buscar muntas gentez athe de partez bem remotaz.


24


Nada


25


Não he prassa de armaz, mas tem hum castello, dentro do qual está a Matriz, o muro he
antigo, e não terraplenado: tem sinco torrez, de obra mourisca, huma das quais he mayor
e munto bem feita, e como as mais rotunda, para a factura do qual castello deo o senhor
rey D. Deniz quinhentaz


/p.909/


libraz por contrato, aos oficiaes da camara.


26


No fatal catastrophe do terremoto não teve ruina concideravel, mas huma das torrez com
o impulso da inclinasam se partio pello meyo, mas reuniu pello subsequente motu
contrario.


Serra


Athe o sexto interrogatorio não ha que responder.


7


Há na serra desta villa, huma admiravel canteyra de boaz, e finaz pedras, de cores varias
principalmente brancas, vermelhaz, verdez, e negras, e das quais se tem feito a sobre
dita obra da magnifica capella da Senhora de Ayres.


8


A serra em algumas partes se cultiva, e os frutos de que he mais abundante, sam trigo, e
azeite, tem munta erva douradinha, e a rais do seo – alegra o campo tem virtude igual a
da salssa parrilha, segundo afirmão os boticarios por experiencia, e outras mais de que
abunda.


9


Nada


10


O temperamento da serra, e desta villa – he quente e humido, asimilhando o quente do
geral desta provincia, e o humido do particular sitio, e pozitura da mesma terra, que bem
mostra nos continuos e fluvios nebulozos esta aseverassão, a qual se comprova pellaz
ferquentez, e particularez emfermidadez limphaticas, e catarrozas que há nesta villa, e
que procedem do particolar temperamento, clima, ou ar qualificado da mesma.


11


Na serra se crião e apas


/p.910/


e apascentão alguns gados, como boys, cabraz, e porcos. Tem alguma cassa de lebrez,
coelhos, e perdizes, crian se nella bastantes rapozas, e não ha mais que dizer da serra.


Rio


1.2.3.4.5. etc.ª


Não tem rio navegavel, passa pello termo o Xarrama, que nasçe no termo de Evora ,
passa pellos de Aguiar, Vianna, Alcaçovas, Villa Nova e Torrão, e entra no Sadão por
sima de Porto de Rey, corre de Nascente, a Poente, cria muntos barbos, picoens,
eyros, bogas, e excellentes bordallos, cujos peiches se pescão em todo o anno, são
livrez as pescariaz excepto a de redez no Pego Longo, que se guarda pello respeito do
Duque do Cadaval, em cuja defeza está = Cultivançe as suas margens, e parte das
mesmas se adornão de muntaz azinheiras, oliveiras, sovereiras, e frechos. Tem quatro
pontes, tres ordinarias no termo de Evora, e huma grande, e magnifica junto ao Torrão;
Tem bastantes moinhos por toda a parte por donde corre; E desde donde nasce, athe
donde morre tem doze legoas de comprimento, e nada mais ha que dizer do Rio.

Isto he o que poude descobrir, a minha curioza deligensia, desta villa no que toca
ao interrogatorios [sic] do papel incluzo; E sempre fico promptissimo para obedecer a
V. E.cia que Deus guarde Vianna de Alentejo


Reitor Jozeph Peres Maciel

 


Transcrição: Fátima Farrica

 

Alcáçovas, 1758
Memória Paroquial da freguesia de Alcáçovas, comarca de Évora
[ANTT, Memórias Paroquiais, Vol. 39, nº 150, pp. 891 a 910]


Alcaçovaz e ? Evora


// fl.519 //


Está esta villa na provincia de Alem =Tejo, Arcebispado de Evora, comarca da mesma
cidade, tem termo proprio, e freguezia. He de donatario, e o he ao prezente o senhor
Dom Joze de Alem=Castro.
Os vizinhos que em si comprehende são duzentos setenta e sinco; o seu termo,
cento e outenta e sete, que por todoz fazem numero de quatrocentoz e sesenta e douz: as
pessoaz são outocentaz e noventa e nove: no termo são setecentaz e setenta e duaz que
todaz se reduzem ao numero de mil seizcentaz e setenta e huma.
A sua situação he em douz montez, que por pouco elevadoz a fazem bem
assentada: della se discobrem as seguintez terraz: a cidade de Beja, que dista desta outo
legoaz; Villa Nova da Baronia, que está distante duaz legoaz, Aguiar, que dista outraz
duaz; Sam Bartholomeu do Outeiro, que dista trez legoaz, e a cidade de Evora, que esta
na distancia de sinco legoaz. E no seo termo, que tem tão dilatado não inclue aldeaz,
nem lugarez.
A sua parochia, e collegial igreja está fora da povoação, mas contigua a mesma,
para a parte do Norte, e não tem mais outroz algunz lugarez, ou aldeaz sufraganeoz. O
seo orago he o do Santissimo Salvador; tem nove altarez; o altar mor, aonde está o
tabernaculo do Santissimo Sacramento; o do Senhor dos Passoz; o da Senhora do
Rozario; o da Senhora dos Remedioz; o do Santo Christo; o das Almaz; o do
Evangelista São João; o de São Francisco Xavier; o de Santo Antonio. He de trez navez;
tem seiz irmandades que vêm a ser: a do Santissimo Sacramento; a da Senhora do
Rozario; a da Senhora da Assumpção; a da Senhora dos Remedioz; a de Santo Antonio
e a daz Almaz. O seo parocho he reitor e he reitoria de concursso?, a sua apprezenta /
520/ cão he por alternativa, e está lotado o seo rendimento em outenta mil reiz. Tem
maiz quatro beneficiadoz e cada hum destez beneficioz está lotado em duzentoz mil reiz
e a sua aprezentação tambem he por alternativa.
Não tem conventoz, nem hospital; só tem huma caza, em que se recolhem os
pobrez passajeiroz, a que dam o nome de hospital. Tem Mizericordia, que foi fundada
no anno de mil quinhentoz e sincoenta e hum, não consta da sua origem, e o seo
rendimento são trazentos mil reiz.
As ermidas que comprehende dentro em si são trez; huma he a do Espirito Santo
que está situada na praça, e pertence a senhora D. Madalena Luiza de Borbom
comendadeira do real mosteyro da Encarnação de Lisboa: a outra he da Senhora da
Conceição collocada em hum jardim que fica em a mesma praça, e pertence ao senhor
donatario. Singulariza-se esta ermida entre tantaz do Alemtejo pella fabrica de variaz
galantariaz da India, com que se adornão suaz paredez, as da sanchristia, e parte do
jardim imbutidaz por tal ordem, que se deixão fazer bem vistozaz; a terceira ermida he
chamada a de São Thiotonio, e pertence a Manuel Fragozo de Barros. Alem destaz há
maiz outraz trez ermidaz fora; que são a de São Giraldo com hum altar de Nossa
Senhora do Pilar; a de São Pedro com outro altar, e confraria de Nossa Senhora das
Brotaz; e a de São Sebastião; e pertencem ao senhor Arcebispo. Não acode a ellaz
romagem continua; ou interpolladamente no anno.
Os frutoz, que com maior abundancia recolhem os moradorez da terra são pam, e
azeite. Alem disto para o seo acertado regimem goza de hum ouvidor, hum juiz de
orphãoz; douz juizez ordinarioz, e camera. Não he couto, cabeça de concelho; honra
nem biletria: Não há memoria que della sahiram homenz insignez por virtudez, letraz,
nem armaz. Tambem tem no termo hum Regengo chamado de Alcalá com douz juízes
feitoz por eleição doz mesmoz lavradorez e confirmados pello senhor donatario, /521/
cuja jurisdição se extende a conhecer das cauzas, e coimaz, que correm no seo destricto,
sem que para izto entre outra alguma justiça.
Tem no decurso do ano duaz feiraz francaz hua em o dia treze de Outubro
chamada de São Giraldo que douz diaz; e a outra no dia vinte e quatro de Agosto
chamada do São Bartolomeu junto ao convento de Nossa Senhora da Esperança, e dura
hum dia. Tem maiz hum mercado junto do mezmo convento em oz trez diaz do Espirito
Sancto. E porque não tem correyo, se serve humaz vezez do de Vianna, que dista duaz
legoaz, e outraz do correyo de Evora, que está distante sinco legoaz. Desta cidade que
he a capital do Arcebispado dista as ditaz sinco legoaz, porem de Lisboa capital do reino
está distante quinze legoaz. Os mais interrogatorioz, que se seguem não comprehendem
maiz couza algua, que a respeito desta villa se possa referir.


Serra


He esta serra chamada a de Nossa Senhora da Esperança, tem pouco menoz de meia
legoa de comprimento, e largura. Não tem braçoz, nem rioz, e está situada ao poente.
Não comprehende villaz, nem lugarez. Tem variaz fontez, maz ordinariaz, e limitadaz;
e entre estaz no fim a serra está huma maravilhoza chamada a fonte Santa, por quanto
há tradição, que a dezcobrira hum peregrino invocando a Senhora da Esperança; nazce
de huma roxa fortissima, e nella se ve pollular, ou ferver a agoa; nunca se seca, nem tem
deminuição, conserva todaz as propriedadez boaz, mandão busca la de povos distantez
para enfermoz por meio da qual alcanção saúde. Neste sitio em o tempo da primavera se
forma hum formozo jardim composto de varias florez aggrestez, as quaiz não refiro,
nem suaz qualidadez, e virtudez por serem muito ordinariaz.
Nam tem canteiraz de pedra de estima, minaz de metaiz, nem ervaz de que se
faça grande apreço para remedioz. Porem cultiva se em variaz partez; he abundante de
trigo, sevada e senteio principalmente em oz annoz invernozoz, porque o mais que tem
he /522/ mato, que se corta, e queima para se semearem az searaz. Dá alguma azeitona,
e bolota, nella se cria gado miúdo, e algum grosso, e cassa de lebrez, perdizez, e
coelhoz.
He salutifera lavada do Norte, seo temperamento he frio e seco. Não embebe em
si lagoa nem fojos notaveinz. Tem por ultimo em o maiz alto de hum monte hum
convento de religiozoz da Ordem do Patriarcha São Domingoz, intitulado de Nossa
Senhora da Esperança imagem perfeitissima, e muito milagroza; caza de romagem
aonde concorrem pessoaz de diversaz villaz e fregueziaz que pello decurso do anno
fazem outo festaz.


Rio

O rio, ou ribeira propria desta villa que fica da parte do Norte e dista della meya
legoa tem seo principio na freguezia de Sam Braz do Regedouro termo de Evora, aonde
se divide o termo da dita cidade com o desta villa e ahi se juntão tres ribeiraz, huma
chamada a de Sam Briços, outra de Valverde, e outra de Peramanca, cuja tem huma
parte de cantaria que fica na estrada que vai desta villa para Evora, e daqui athe a
diatancia de sinco legoaz se chama o Diege, cujo nome conserva na dita distancia athe
chegar a freguezia de Santa Catherina de Sitimoz termo de Alcacere de Sal; e dahi athe
entrar no rio da dita villa se nomea ribeira de sitimoz.
Corre este rio de nascente para Sul; e não he navegavel, e desde o seo
nacimento pouco maiz de huma legoa são cultivaveinz suaz margenz, e compostaz de
algumaz arvorez, como são oliveyraz, e azinhais. A mais distancia he incultivavel por
ser muito fragoza de serraz, e penhazcoz com muitoz mattoz de madronhaiz, estevaz,
daroeyraz, e outroz mattoz a que chamão folhado, e zimbra.
Tem em par desta villa hua ponta de pedra de cantaria por onde passa, quem vai
para a villa de Montemor, e vem para esta das Alcaçovaz. Tem dez moinhoz de moer
pam, e não tem maiz engenho algum; suaz agoaz /523/ e pescariaz são livrez, e não
tém senhorio algum.
Os peixez, que nelle se crião são barboz, bordaloz, pardelhaz, e em algunz annos
de inverna se pescam tambem lampreyaz. Não corre de Verão, suaz agoaz não tem
virtude particular. Não se tira ouro de suaz areaz, nem consta se tirase em tempo algum.
Tambem tem maiz esta villa outro rio na distancia de huma legoa, que fica para
a parte do Sul, chamado o Xarrama. Tem este sua origem daz vinhaz ? de Evora junto
ao convento doz religiozoz jeronimoz intitulado de Nossa Senhora do Espinheyro. Não
he navegavel seca ce de Verão. Os peixez que cria são bardoz, bordalos, paxeinz?, e
pardelhaz.
Desde a sua origem athe entrar no rio Sado são sete legoaz e meia pouco maiz
ou menoz, corre do nascente para o poente. Suaz agoaz, e pescariaz são livrez, e em
algumaz partez se cultivão suaz margenz: não tem virtude especial suaz agoaz vai
conservando o mesmo nome. Corre junto a villa do Torram aonde tem uma grande
ponte: não se tirou nem tira ouro de suaz areaz, e os povoz uzão a livremente de suaz
agoaz. E por fim não ha maiz couza alguma, que por notavel seja digna de memoria.

Reitor o Doutor Pedro Antonio de Carvalho

 

Transcrição: Fátima Farrica


http://www.seo.mavi1.org http://www.mavi1.org http://www.siyamiozkan.com.tr http://www.mavideniz1.org http://www.mavideniz.gen.tr http://www.17search17.com http://www.siyamiozkan.com http://www.vergi.gen.tr http://www.prsorgu.org http://www.seoisko.net http://www.seoisko.org http://www.ukashhizmet.com http://www.ukashmavi.com http://www.sirabulucu.net http://www.kanuntr.com http://www.kanuntr.org http://www.kanuntr.net http://www.kananlartr.com http://www.kananlartr.org http://www.kananlartr.net http://www.haberbul.org http://www.iskoseo.com http://www.iskoseo.net http://www.iskoseo.org http://www.siyamiozkan.net